domingo, 15 de fevereiro de 2009

Manifeste-se

Depois do Manifesto criado por Vivienne In these hard times – Dress up. Do it yourself!” para a 25ª edição da London Fashion Week e da 3ª edição do Manifesto que Stefano Pilati, distribuiu em cinco cidades: Milão, Paris, Londres, Tokyo e Hong Kong, convidamos você a que se Manifeste!
Isso mesmo, bota a boca no trambone e crie seu manifesto! Não importa se é surrealista , antropofágico ou dadaísta! Criemos uma nova ordem!!!
O manifesto que nos toque a alma ganhará a bolsa e a revista Manifesto YSL, que a Duda recebeu lá em Milão e guardou especialmente para um leitor do Cajon! Peça digna de colecionador!!!! Até dia 1 de março! Participe!
Prorrogado até 8/3!

11 comentários:

Anônimo disse...

Olá pessoas do Cajon DeSastre......segue o meu manifesto!!!!

Eu gostaria de manifestar minha indignação pelo fato de o Stefano Pillati não ter distribuido esse kit aqui no brasil, (apesar que eu já imagino o povo se acotovelando prá conseguir um e depois colocar à venda no e-bay.)....aproveitando esses tempos de mudanças ortográficas no nosso querido português, complemento meu manifesto às pessoas que não sabem pronunciar Yves Saint Laurent, Chloé, Ann Demeulemeester, Herve Leger, ou que acham (ainda!) que Rei Kawakubo é homem e Junya Watanabe é mulher!

bjo-bjo a todos!!!!

rodrigo disse...

ai saiu sem meu nome.....dargh!
esse post de cima é meu:
Rodrigo Tanaka!

Shirley disse...

O meu manifesto é sobre o que é estar na moda.
Há um grande equívoco por aí. Há pessoas que acham que moda é vestir o look inteiro da vitrine. Há outros que pensam que moda é consumir e ostentar o máximo que puderem.
E há ainda aqueles que pensam que estar na moda significa ter um olhar permanentemente blasé oculto sob óculos escuros Dolce & Gabbana que escondem também seus anos de botox.
Estar na moda é ousar, é olhar em volta e ver o que acontece no mundo, é se amar, se conhecer com todas as virtudes e defeitos.
É entender que classe tem mais a ver com gentileza do que com grife, admirar Chanel, mas também saber brincar elegantemente com o que seu bolso pode pagar, aprender lições dos grandes nomes do passado e antecipar o que virá, mas sem perder aquilo que nos faz únicos. Estar na moda é dizer muito de você sem falar, é expressar quem você é, é ser autêntico e se relacionar com o mundo ao seu redor.

Shirley Piccolo Vieira Stamou

Ingrid Araujo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ingrid Araujo disse...

Segue o meu manifesto sobre a democratização da moda!! Muita gente se ilude com o que está na passarela e com o que as celebridades usam, as pessoas só vestem o que eles vestem, se uma celebridade usa uma sandália gladiadora todo mundo usa também! Gente, meu manifesto é para que nos mesmos, pessoas anônimas tenhamos estilos próprios, sem sermos patetas vestindo sempre o que as celebridades vestem copiando tudo, as vezes, nem combina com a gente mas pelo fato da celebridade ter usado aquilo já tá legal. Sejam vocês mesmos sempre, pois todos vocês têm um brilho próprio!!!.

Beijos pessoal do Cajon.
Ingrid Araujo.

Paula Escher disse...

Oii, então aqui está meu manifesto!

Manifesto pelo uso de uma moda mais pessoal e expressiva, pela exploração do estilo de cada um, sem medo de sermos pré-julgados ou estarmos deslocados da sociedade onde vivemos. Meu manifesto é pela expressão de sentimentos, pensamentos e ações através da moda.

beijos beijos
Paula Escher

Anônimo disse...

Cabelo... curto, sarará, ondas, moica, luzes, gel, chapa.

Cílios... postiços, coloridos, retos, naturebas, ensebados.

Quadril? Parideira, palitinho, bolin bola.

Peitchola? Pernas? Ombros? Cotovelos?

Um apanhado de pedaços que sustenta o que chamamos de moda. E cada um sabe o que lhe convém. Que a moda exista cada vez mais para ser conveniente. Para somar. Não para alienar.

Daniela Oliveira

Thaís P. disse...

Meu manifesto é pela disseminação da cultura da moda.
Pela oportunidade que é dada a qualquer um que se interesse pelo assunto.

Manifesto minha admiração por este universo que vem sendo criado, em que qualquer um tem acesso não só à informações, mas a imagens e opiniões.

Opiniões que não são influenciadas por ganhos pessoais ou pela obrigatoriedade de um contrato. Idéias embasadas em conhecimentos e experiências vividas que tem total liberdade de serem expressadas. Que saem da cabeça de quem as pensa e encontram morada na de quem concorda.

Meu manifesto é por esta oportunidade e pelos frutos que com certeza colheremos em pouco tempo.
Viva a informação, as idéias, conveniência e a liberdade de pensar e tentar entender a moda em um mundo globalizado!

wannessa lima disse...

O meu manifesto é a favor de uma estética visual individual e própria, cuja única obrigação seja a de fazer sentido para mim, em detrimento do que qualquer outro indivíduo possa julgar, sendo esta estética parecida ou não com a de outro sujeito (se faz sentido pra mim, então é minha também!), não importando se é composta de itens novos e/ou velhos.

malevagotica disse...

o meu manifesto é sobre as pessoas q acham q moda é fútil e coisa de paty....se tivessemos uma política séria voltada relamente para as pessoas que necessitam teríamos grandes profissionais nas comunidades desse meu brasilzão afora. porque não inlcuir nesse tal de PAC a moda em todos os lugares como fonte de renda para a maioria dos contribuintes que somos nós daria um ótimo palanque a qualquer futuro candidato.

Thays Caroline Sabei disse...

Eu manifesto um "mundinho" denominado da Moda! Que se unem por interesses frívolos, inseguranças pessoais e pensam poder determinar quem faz parte deste ou não! (Eu sou Designer de Moda!) Lamento, mas sábio é aquele que tem a cabeça e espírito abertos para o Mundo Todo e o que acontece nele! Compreender é a palavra!