terça-feira, 3 de março de 2009

Tendências Vintage - parte I

Se vocês acham que o mercado vintage é simples, e que é só colocar um monte de peças antigas a disposição... bem, continue lendo esse post, onde algumas empresas contaram exclusivamente para o Cajon como elas trabalham.

Durante o Premiere Vision fiquei fascinada pelos stands que vendiam vintage na Indigo. Eu queria saber mais sobre eles e sobre essa idéia de tendência na ‘indústria vintage’, então fui conversar com alguns. Das 6 empresas presentes, entrevistei 4. Vou dividir esse post em 2 partes, para não ficar muito grande. E quero ouvir comentários! Vocês sabiam que eles trabalhavam assim? O que acharam mais interessante?

Nome: Paradox Designs

Cidade: New York

Endereço: www.prdxnyc.com


Há quanto tempo você abriu a empresa? 5 anos

 Você especializa em alguma década específica? Não especializa em nenhuma década, tem coisas de 1800’s até 1980’s, mas foca em estamparia (apesar de ter também roupas para inspirar modelagem). Eles tem um catálogo online para os clientes.

Qual o seu maior tesouro no momento? “Nós gostamos de tudo o que temos, não tem nada que gostamos mais do que as outras.”

Há tendência em vestuário vintage? “Sim, e ela muda a cada poucos meses."

O que é ‘quente’ no momento? “Nós só trabalhamos com designers, então vemos com o que está acontecendo nesse nível da moda. No momento há uma procura por geométricos malucos no estilo Pucci, cores caleidoscópicas em explosão, e muitas estampas tropicais”

Preço? (não quiseram revelar)

Você só atende empresas ou pessoas físicas também? Só trabalha com designers, by appointment only.


Nome: Beyond Retro

Cidade: Londres

Endereço: www.beyondretro.com

A Beyond Retro é primeiramente uma loja de roupa vintage super conhecida em Londres (e com duas filiais na Suécia).

 

Há quanto tempo você abriu a empresa? A loja existe há 6 anos, e há 2 anos eles abriram o arquivo, que é o que eles levaram para o Premiere Vision.

Você especializa em alguma década específica? “Não, nós temos de tudo, de peças vitorianas e até os anos 80”

Qual o seu maior tesouro no momento? “Hmmm.... há tantos... uma saia rodada com estampa de papagaio. A estampa é anos 50, mas cores são bem anos 30, com rosa e verde, e é incrível a maneira com a estampa trabalha na roupa. A saia é toda em painéis então é bastante rodada”

Há tendência em vestuário vintage? “Sim, definitivamente. Nós temos uma ‘trend analyst’ que interpreta todas as tendências das passarelas a cada estação e faz um paralelo com o equivalente na história da moda e cultura pop. Essa informação é passada para as nossas buyers, que vão procurar peças que se encaixam nessas tendências. Então temos um grande estoque de várias coisas, mas também de coisas que se encaixam nas tendências do momento”

O que é ‘quente’ no momento? “Em estampas está havendo uma procura por ‘art movement’, nós tivemos vários pedidos por estampas desenhadas a mão. As pessoas estão deixando um pouco de lado aquele ‘mish-mesh’ (estampas com vários elementos), aquela colagem de coisas, e passando para uma coisa mais artística. Em modelagem, muita estrutura, ombros grandes, escamas, esse tipo de coisa. E estamos voltando um pouco para era vitoriana e anos 50 também, saias grandes e tal.”

Você gira seu estoque dependendo da tendência? “Na loja sim, quando você entra na loja as maiores tendências estão na frente, e as vitrines também seguem as tendências.”

Preço? No arquivo os pedaços de tecidos antigos custam £250 e a peça mais cara que temos no arquivo hoje custa £900.

Você só atende empresas ou pessoas físicas também? O arquivo atende by appointment only, mas atende a todos, inclusive colecionadores particulares e figurinistas de teatro e cinema. 

Um comentário:

Rafael Srur disse...

muito boa a matéria! podemos ver como é difícil ser vintage e contemporâneo. adorei a constataçã que mish mesh já era, adoro estampas mais delicadas, desenhadas a mão. acho que os ilustradores vão ter muito trabalho pela frente!