domingo, 1 de junho de 2008

Gustav Klimt na Tate Liverpool

A Tate de Liverpool dedica uma mostra a Gustav Klimt, a mais importante organizada no Reino Unido sobre este artista e com o objetivo de repassar a trajetória do líder do movimento da Secessão de Viena que revolucionou a concepção artística a princípios do século XX.

No ano em que a cidade inglesa de Liverpool é Capital Européia da Cultura, a Tate inaugurou, dia 30, a exposição 'Gustav Klimt. Pinturas, Design e vida moderna em Viena 1900", que estará aberta ao público até dia 31 de agosto. A obra de Klimt exemplifica o processo de mudança, renovação e inovação que os artistas de Viena lideraram com o objetivo de despojar-se dos imperativos estilísticos da época.

O cartaz da primeira exposição do novo movimento, desenhado pelo próprio Klimt, causou polêmica por aparecer nele um guerreiro nu que deixava à vista seus genitais. Em um contexto no qual só se aceitavam os desnudos femininos, o cartaz foi censurado e se obrigou ao autor a acrescentar uma árvore cujas galhos taparam os atributos do guerreiro.

Também estará nesta exposição uma reprodução do Friso de Beethoven, em que o músico aparece , e parte da interpretação wagneriana da Nona Sinfonia para expressar a luta da humanidade para encontrar a felicidade do espírito. A versão original está no edifício da Secessão de Viena, representa a unificação de todas as artes -a pintura, a escultura, a arquitetura e a música- em uma só obra.

In the Three Ages of Life, uma de suas obras mais famosas, três mulheres de diferente idade compartilham espaço em um mesmo quadro para representar os três períodos da vida: infância, maturidade e velhice. Na cena, uma idosa de pele enrugada se desespera ante a imagem, cheia de vida, de uma mãe sustentando a sua filha em braços, no que representa um espelho do que ela foi no passado.

Mas além da pintura, e seguindo a filosofia da Secessão vienesa que ele mesmo liderava, Klimt se adentrou na arquitetura e o design para conseguir o ideal do 'Gesamtkunstwerk', isto é, a síntese de todos os artes.
Da mão de seu amigo e artista visual Josef Hoffman, cujas obras compartilham espaço na sala com as de Klimt, o autor vienês desenhou cadeiras, estantes e outros móveis elaborados com materiais de alta qualidade e ao serviço de um estilo que enobreceria a vida diária das pessoas que os utilizassem.

Versátil e polifacético, Gustav Klimt sempre se sentiu seduzido, ao longo de sua carreira, por um tema que concentrou grande parte de seu talento artístico: a mulher e sua feminilidade. Na exposição se podem contemplar alguns dos desenhos que Klimt fez de mulheres nuas e seminuas, em posições eróticas que nos mostra uma aproximação à sexualidade feminina.
Quando o artista expôs esses desenhos pela primeira vez, em 1910, recebeu denúncias ao ser acusado de "pornógrafo", o que lhe levou à decisão de não expor publicamente.
Não deixe de passar pela web, e eu, que tenho amigos em Liverpool acho que não vou perder a oportunidade de fazer uma visitinha.
via

Um comentário:

Feibi - Rio de Janeiro disse...

Ai, eu queria ter tempo pra me despencar pra lá e ver isso.... Esse homem é a minha vida!