domingo, 12 de julho de 2009

Semana de moda em Berlim: The Key to...

Vou começar pelo melhor da semana: "The key to... ", feira dedicada à moda ecológica, foi o evento mais comentado da temporada. Nada de VIPS, nada de "Its", mas um montão de gente interessada no futuro do planeta e da moda. Tá na hora de pensar a moda responsável e criativa, tá na hora de pensar e não de consumir o que daqui a um mês vai pra lata do lixo. Tá na hora de transformar o que tá na lata de lixo em moda. Criatividade foi só o que se viu, num evento completamente alternativo, em todos os sentidos da palavra. Pequenas marcas mostraram como é que se une design e consciência ecológica com muito estilo. Para mim o ponto alto foi o Workshop de reciclagem de roupas com as meninas do "Fashion Reloaded" que foi patrocinado pela Bernina, marca de máquinas de costura. O Fashion Reloaded é praticamente uma swap-party ambulante: você traz suas peças que não quer mais, troca por outras e faz com elas o que a sua imaginação bem entender. Clique aqui pra ver as fotos do que o pessoal criou (e tem eu lá tambem com meu pentê anos 80!) Eu tranformei uma camisa e um pullover em um vestido. Abaixo as fotos que eu tirei durante o evento...





























A entrada e os assentos eram feitos de material reciclável. Até os stands foram todos construídos em papelão...









































...E o espetacular evento Fashion Reloaded, com uma foto minha usando o modelo reciclado por mim e devidamente retocada pelo Fat-o-Shop...























Exposição de produtos criados por projetos internacionais de desenvolvimento sustentável e reciclagem. Reparem a bolsinha marrom e os cintinhos que são da marca "Rokkon", produzidos utilizando um material chamado "Woodbase" que é uma mistura de restos de madeira usada em construção, resina e couro. O negócio é tão bacana que você pode tentar amassar e dobrar que ele não quebra de jeito nenhum. O par de tênis " Veja" é produzido no Brasil com algodão do nordeste e borracha da Amazônia.

Crédito das fotos 1,5 e 9: http://www.fashionreloaded.com/






4 comentários:

Lissandro Silva - São Paulo disse...

Ei Rob!
Adorei o post, nem sabia que existia uma feira assim.
Esse tenis Veja e super bacana, pena que e mto caro.
Alias, essa coisa de ser sustentável e muito bacana e importante, porem, tem muita gente querendo mesmo e ganhar dinheiro por estar super "in" ser ecológico, e acabam colocando os preços super altos, e espantando quem quer consumir coisas ecologicamente corretas.
Bjo

Frau Martins - Berlin disse...

Lico, acho que o preço também é uma questão de tempo. Quanto mais gente comprar, mais eles poderão produzir e assim o preço pode cair um pouco. Ajuda do governo e ongs tb são fundamentais. O problema é que o que se esconde atrás do produto "barato" é a mão de obra barata e a produção sem procupação ambiental e social. Eu tb não tenho dinheiro pra comprar uma camiseta "eco" de 40 euros, mas agora que perdi meu job por causa da crise, estou consideranto seriamente a compra por impulso. Estou trocando roupas com amigas e vou me esforçar pra fazer minhas próprias roupas ao invés de comprar qualquer porcaria da h&m... Quendo começa a afetar a gente diretamente, a gente começa a refletir.

Miss Lopes - Rio de Janeiro disse...

O preço alto não é somente pq é 'in' ser ecológico mas também pq a materia prima é mais cara - por exemplo, no caso do algodão organico, a perda é infinitamente maior. Nessa hora a gente esquece que os produtos quimicos ajudam a maximizar a colheita (lembra dos tomates grandes e bonitos na feira - aquilo é agrotoxico)... Além disso, como ainda são poucos os lugares que produzem 'organicamente', a materia prima ainda é escassa, e isso tb aumenta o preço (lei da oferta e da procura). se não me engano, o processo tb é mais demorado. Então na verdade o produto final fica mais caro não por simples escolha da marca, mas pq eles repassam os custos extras.

samuel disse...

muito bom, como sempre....mas, vcs sabem que eu gosto de shishufrujamingar argumentos......e agora no mundo este que nós vivemos perigosa e conscientemente...muito do "versus" é só outra forma do "pro",....quero dizer, que amo as iniciativas pessoales, imaginativas reinventoras, ja nao dos medios productores, o criadores (criativos, porfa!) da moda, o melhor...do sentido pessoal e novo de vestir e falar quem umo é...sino de tudo o que rodea ao conceito MODA...e claro, sua Industria.

Ao igual que acontece en torno a muitos mundos anexos a consciencia global, ecológica, evoluçao socioeconómica do mundo e etcs...por exemplo, a produçao-consumo de Energía, recursos, e etcs...existen muitos falsos profetas, salvaterras ficticios o maquilhados, e...em definitiva, "formas alternativas do negócio e a industria" que falam ser mais limpos ou verdes, e nem siquer som...

Parte do falho o erro de percepçao de parte de essas propostas, estáo en la falsedade de dados, contas, bondades e maldades relativas pra o planeta em conjunto ou pra os obreros chineses de turno...Ao igual que muitas empresas que hj fazem apología das energías renováveis ou o reciclagem, digamos comercialmente...nao som mais que mascaradas adatadas...me pergunto si tudo o que nos espera embaixo do termo ECO...é tao legal como esse fato da troca de mentalidade, o tempo criativo e pessoal que aponta Frau com seu Vestido de auténtico e real Luuuuuuuuxo. Bom, é bom o debate, e o motor criativo ou revolucionário!!, mais HUMANO.

Robe, vamos montar nós uma "Pao e Requijao".....e ensinamos aos "cabeçacubo" cómo lutar contra a crisis, e nao só a económica! jijijiji